quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fuga.

Esta manhã choveu...
Não, não se preocupe que eu não vi. Só senti o cheiro pela manhã...
Você percebeu também que o dia acordou mais leve?
Parecia guardar uma surpresa em cada esquina...
Tenho andado um pouco triste, um aperto por dentro, sabe?
E eu não faço nem idéia de onde vem... só sei que resulta num desânimo danado, uma vontade de interromper o caminho bem no meio e ficar lá quietinha, até passar...
Porque passa, né? Pois é o que dizem, e eu gosto de acreditar vez enquando, pra me doer menos.
Ando me doendo muito. Só que dessa vez é diferente...
Aquelas feridas que a gente procura com as próprias mãos, se você olhar bem, não vai encontrar.
Mas andam me ferindo tanto! E me dói inteira, desde o primeiro fio de cabelo, até a ponta do dedão do pé.
Acho que preciso de ajuda...
Algum socorro espiritual, um livro de auto-ajuda, uma solução drástica ou vou fugir daqui.

Não sei quando ainda... mas vou.
Tá difícil segurar, viu?
Tem caído raios na minha janela todos os dias...

3 comentários:

Nanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nanda disse...

Ei, psiu...quando dói assim, não é preciso livro e ajuda de outrem tb não é suficiente... nessas horas a gente orecisa olhar lá dentro e arrumar o que está fora do lugar.Quanto aos raios, não é tão ruim assim, é sínal que já se sabe por onde começar. Que essa tempestade dure o tempo necessário e que o dia nasça tão mais lindo quanto aquelas tardes de outrora...

M. Sueli Gallacci disse...

Ah! minha amiga, tudo nesta vida passa... e passa tão depressa!
O que hoje parece tão pesado para ser carregado na travessia, nem existe mais quando chegamos à outra margem.
O que dói tanto hoje descobriremos amanhã que tudo foi visto por trás de uma lente de aumento.
O tempo envelhece, mas passa e deixa as coisas pequenas. Que bom

Um bjo enorme e bom findi!