quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Cartas a uma desconhecida...

"(...) Desde agora, cinco da tarde, até a hora em quer for dormir, estarei sozinho, porque disse a todos os meus amigos que estava muito cansado e não queria ver niguém.
A menininha para quem cuidadosamente reservei esse tempo livre nem se deu o trabalho de me avisar que não viria.
Descubro com melancolia que meu egoísmo não é tão grande assim, pois dei ao outro o poder de me magoar.
Menininha, foi com carinho que lhe dei esse poder. É com melancolia que a vejo usá-lo.
Os contos de fadas são assim. Uma manhã, a gente acorda e diz: 'Era só um conto de fadas...' E a gente sorri de si mesma. Mas, no fundo, não estamos sorrindo. Sabemos muito bem que os contos de fadas são a única verdade da vida.(...)"

Trecho do livro "O Amor do Pequeno Príncipe" de Antoine de Saint-Exupéry. Este livro é uma coletânea de cartas escritas pelo autor a uma Francesa que ele conheceu num trem. As originais estão no Museu de Cartas e Manuscritos em Paris, França.

[imagem: retirada do próprio livro]

3 comentários:

Danielle disse...

Ahh pq as nossas histórias nunca parece com um conto de fadas?... Também quero viver feliz para sempre... é.. talvez também devemos mudar nosso conceito de felicidade né... as vezes o colocamos tão limitado... mas seria legal perder um sapatinho e ser reencontrada através dele... ressurgir de um beijo doce depois de uma maçã envenenada... dormir longos anos e acordar tudo em paz.. tudo tão bonito... beijar um sapo e encontrar uma pessoa tão legal! rs eu sei a estorinha é um princípe... mas a gente pode alterá-la né hehe... ahh Dé.. adoro seus textos e viajo neles!! bjão!!

Bianca disse...

lindo.

ana sandim disse...

gostei 2