quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Quando não sabe, a gente aprende...

tem chovido muito nos lados de cá. Vez enquando faz um frio!
ando um pouco exausta... e às vezes me pego sem chão, mas sempre respirando fundo, pra ninguém perceber o quanto eu me permito doer...
vivo numa luta diária. comigo mesma, pelejando pra não desistir.
Esse silêncio, essa (s) saudade (s), esse tempo que consome, essas ausências sem fim...
Outro dia, uma pessoa muito querida me perguntou sobre felicidade e a gente conclui, que por sorte ou falta dela, a gente nunca conseguiu ser feliz na companhia do outro sem pensar no tempo.
E ele nos traiu, assim como seres humanos traem, e como a gente não esperava.
Acho que ainda não é aqui sabe? Não é aqui que eu quero ficar... não é aqui que eu quero aprender a ficar.
Porque tem um mundo tão bonito lá fora e eu não conheço nem metade dele, que não sejam fotografias.
E eu quero conhecer, antes que fique preto e branco e envelheça... eu preciso.

Pedi a ele que me desse um Pai Nosso com três Ave-Marias.
Mas que tolice a minha! Ele não sabe rezar...





2 comentários:

dear sarah disse...

Eu não saberia responder sobre a felicidade, só pela a chuva.

Camila Sol disse...

Talvez a felicidade esteja sempre nos planos e nunca na prática. Acho que falta ir em busca dela, mas na verdade ela está dentro de nós.