quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Quando chega a hora de ir...

"(...)eu quis ir embora tantas vezes...
mas aí a gente foi ficando, ficando... e foi tudo ficando tão dificil!
O sol, as cores, os compassos...
E eu sei que não foi sua culpa... eu entendo!
Mas você precisa entender também que não foi de propósito.
Essas ausências, essa angústia, essa tristeza, essa dor.
Não sei lidar com a solidão, embora ache que nada nunca me coube tão bem quanto ela.
E sabe... a gente devia ter se despedido antes.
E você sabe o quanto tentei...
Mas a gente foi juntando e colecionando tantos pedidos de desculpa...
Quando na verdade, não existia erro nenhum.
Era só se despedir e ir sabe...
E você pediu tanto que eu fiquei...
Me acostumei a ficar e aos poucos, fui me perdendo, sem ter mais pra onde ir...
E então, você vem dizer assim tão de repente, que precisa ir?
Mas e eu?
O que eu faço comigo e com todos os costumes  e todas as canções e todos os cantos e todas as alegrias tristes?
eu não devia ter pensado tanto em você...
E preciso parar de pensar... pra me reconstruir...
Porque quando a gente quer ir embora, eu aprendi que a gente deve ir.
E foi por isso que não te pedi pra ficar, nem fiz nenhum esforço qualquer...
A porta fechou, o guarda-roupa ficou vazio, a poltrona na sala mudou de cor...
Aí eu chorei. Só aí eu chorei..."

2 comentários:

Marcos Oliveira disse...

Mais um belo texto né guria...tão bonito ...Quem dera se os personagens (pelo menos eles) nunca tivessem que dizer adeus...
Acho que vc me emocionou de verdade!

Camila Sol disse...

Sei que já estou naturalmente sensível. mas esse post sim me fez derramar rios...
Suas palavras quase sempre me confortam, agora mais que nunca. Talvez seja mesmo preciso dizer adeus...