segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Cidadezinha Silenciosa...

É impressionante como Itaúna perde um pouco sua vida aos sábados depois das 14h e só a recobra domingo à noite, ou segunda-feira, quando as pessoas começam a sair para trabalhar pela manhã.
O horário dos ônibus é adiantado em até 10 minutos (tempo considerável para quem se acostumou a marcar seus passos por um relógio) e estes, passam sempre quase vazios.
Sábado foi a primeira vez que vi Itaúna aos 23 e percebi que ela ainda funcionava como aos 21, quando saí de lá.
Exceto pela praça central, agora praticamente interditada por uma "grande e inovadora" reforma, algumas lojas novas no centro e outras antigas com suas fachadas reformadas, tudo continua no mesmo lugar.
As únicas pessoas nas ruas aos sábados depois das 14h, são as que ainda voltam do trabalho ou as poucas que ainda vão trabalhar. Outras (e essas poucas mesmo) que saem para ir à Igreja, à banca de revistas que fica aberta até às 20h, ou os senhores que jogam truco e xadrez embaixo das árvores (e quando chove, nem eles resistem).
À noite, o movimento gira em torno da avenida principal cercada por bares e sorveterias. As pessoas costumam andar de um lado para o outro, sempre bem arrumadas e sorridentes. Meus amigos costumavam sentar para beber e conversar no posto de gasolina que tem em uma esquina. Sempre achei interessante, apesar de sempre ir embora  cedo.
No sábado, voltando pra casa num ônibus vazio,  olhei para o posto procurando rostos conhecidos e não encontrei. O tempo havia passado por ali também e pela vida de cada um deles...
Sempre gosto de voltar pra cá (Belo Horizonte) antes de Itaúna recobrar a vida que perde aos sábados depois das 14h. Não sei... acho que essa ausência de vida, a deixa mais serena, mais tranquila, mais interiorana.
Pode ser cisma minha, mas acho que ela fica mais bonita sem tantas pessoas correndo de um lado pro outro.
Bem... as pessoas em Itaúna não correm muito... vai ver é por isso que qualquer movimento mais acelerado, pareça tão estranho pra mim, visto lá.
Vai ver é por isso que, mesmo que eu tenha saido de lá por escolha, eu gosto tanto daquele lugar.
Itaúna, pra mim, é um constante amanhecer...

2 comentários:

Camila Sol disse...

Me fez pensar em Nanuque-MG onde as coisas mudam pouco mas pra mim tudo fica estranho. É bom parar pra pensar nessas coisas. A gente acaba aprendendo com o tmpo a dar valor pras pequenas grandes coisas...

ana sandim disse...

Lindo lindo lindo.. quem mora no interior, sabe bem cada detalhe que você escreveu... os postinhos de gasolina que servem de encontro.. ahh já se foram os tempos..

Adorei o texto..