domingo, 6 de junho de 2010

Estranho...

Não escolhi assim, mas é assim que tenho vivido...
Retirei toda emoção que havia em mim, como se ela pudesse, um dia, me salvar da mágoa das coisas que tem um fim.
E o fim veio.
De mãos dadas com os sonhos, planos e considerações.
E me pegou acordando ainda!
E me acordou sem me deixar mais dormir.
O fato, é que aconteça o que acontecer!
E eu não sei mais pra onde ir.
Me poupei aquele sorriso como se ele tivesse sido feito pra ferir.
Me guardei daquele brilho como se ele viesse pra ofuscar o seu.
E hoje não há um lugar ou salvação.
Poupo...
Esqueço...
Morro aos poucos porque mais uma vez não vi o sol nascer.
Morro, pois que seja infinito um recomeço, que não doa, não machuque, que não envelheça...
Já que amanhã é outro dia...
Põe a máscara do ante ontem e vai brincar de seja lá o que fôr aí dentro, onde não há carnaval.
Já que teu samba não canta mais amor.
Já que teu choro não chora quase mais nenhuma dor.
Põe o sorriso na cara, deixa que a tristeza faça morada só no teu coração.
Já que tens a desculpa do inverno, pra dar ao mundo o motivo pra essa frieza.
Já que depois disso tudo ainda tem a primavera, embora prefiras o outono, que em breve o tempo também irá levar...

3 comentários:

Danielle Pinheiro disse...

Seus textos sempre me deixam sem palavras... e quando penso que nada mais que eu leia poderá ser mais bonito que o terminado, você me surpreende e cria mais um que me cala...
Saiba que seu valor é inestimável querida.

Adorei a nova cara da seu cantinho,
super aconchegante.

Beijão, Dani

B. disse...

*abraço*


vai passar.

Taw disse...

Eita... que triste...

hum... pra que serve os amigos? xD

sei lá... acho que amigos conseguem criar pontes que tiram a tristeza do interior...

mas não sei se isso pode ser possível com todos...

:/

triste isso...