quinta-feira, 8 de abril de 2010

Das coisas que a gente sente... e aprende.

Quando ela me perguntou o que fazer, eu não soube responder.
Justo eu, que tinha sempre alguma coisa certa pra dizer, fiquei sem saber...
Parei pra repensar no que ontem era presente e agora virou passado e me vi tão embaralhada que quase tropecei nas coisas todas que ficaram esquecidas pelo chão.


B. não sei o que fazer pra esquecer, pra não sentir, pra não amar...
Isso ainda é complicado pra que eu possa explicar pra mim, pra só então conseguir explicar pra você.
Sei só que a gente tem por dentro uma coisa que costumamos chamar de força e que eu às vezes prefiro chamar de vontade.
A gente precisa ter força pra seguir, força pra continuar, força pra sorrir mesmo quando tudo fica embaralhado e triste.
A gente precisa ter vontade de ficar feliz.
Pelo menos um pouquinho, um pedacinho por dia até completar e preencher o coração inteiro.
É difícil, eu sei.
Mas uma vez me disseram (e eu nunca vou me esquecer) que o amor se transforma.
E essa pessoa que me disse isso, viu seu amor transformar e acabou fazendo o meu se transformar também.
E hoje eu vejo que ele se transformou tanto que me dá até medo de que ele nunca consiga voltar a me encher de alegria.
Posso te pedir um favor?
Respire fundo agora.
Encha esse buraco aí de ar, transforma ele num balão, deixa crescer que com o tempo vai murchar.
Aprendi que as coisas não são eternas...
Nada é. O amor? Bom, pode até ser.
Mas até ele se cansa.
E um dia, quando você menos esperar, ele nem vai pedir: ele simplesmente vai morrer.

Ps.: preciso que você sorria pra eu sorrir de cá também.

10 comentários:

ana sandim disse...

"Ps.: preciso que você sorria pra eu sorrir de cá também."
Só isso talvez seria o suficiente.
Gostei, apensar de triste.

Belo Horizonte / MG disse...

Chorei.
Acho q estamos na fossa juntas, todo dia q passo aqui, morro um pouquinho. Vc escreve lindamente.

Maria disse...

Acho que ele não morre não. Por isso mesmo ele muda. Muda para continuar vivo. Muda para não ter fim.

"A gente precisa ter vontade de ficar feliz."

Eu tenho essa vontade...

[Acho esse blog tão lindo, moça!]

Beijos doces

Taw disse...

hum... para mim, a gente só ama quando age... se a ação entrou em "pausa" ou "stop" assim também se fez com o amor.

:/

hum... gostei da frase da Maria: "A gente precisa ter vontade de ficar feliz"... nunca li antes, mas se eu a usar no futuro, certamente utilizarei o termo "vontade prática".

:)

B. disse...

D...vou tentar sorrir...nem que seja enquanto choro.

amo-te.

Marcos Oliveira disse...

Ah! tentar decifrar esses caminhos tortuosos do amor é tão dolorido quanto espetar o dedo com agulha.
Amar é não pensar!

Ana Caroline disse...

Senti que seu texto falava comigo.

Camila Sol disse...

Queria comentar alguma coisa...mas acho que voce falou tudo.

Dani Lages disse...

Acho que o amor nunca morre, ele está em todo lugar. Ele muda todos os dias, muda as pessoas.
A forma de receber, a forma de dar... de viver.
É mais difícil aceitá-lo do que vivê-lo.

Eu consegui sentir o amor ao ler o seu texto.

Me deu vontade de sorrir também, porque você me fez lembrar exatamente isso: ele simplesmente existe, e isso já é - pelo menos pra mim - tudo!

Carol Fonseca disse...

hum,e mais um texto que sente o que estou sentindo...
lindo!...
Mas pedir pra sorrir,hoje, é pedir de mais...
te sigo!